Valdeck Almeida de Jesus
O poeta da verdade!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks


DARLON SILVA É ENTREVISTADO POR VALDECK ALMEIDA DE JESUS

Darlon Silva tem 20 anos, cruz-almense, baiano. Darlon mora em Salvador e é graduando em Filosofia na Universidade Federal da Bahia. Foi premiado no concurso Tempos de Artes Literárias (TAL). Publicou um livreto, “Campos Interior”, na Festa Literária Internacional de Cachoeira – FLICA, onde, também, fez parte da mesa “A Poesia Baiana Contemporânea - Homenagem a Damário Dacruz”. Participou da Praça de Cordel e Poesia na 10ª Bienal do Livro da Bahia (2011).

VALDECK: Quando e onde nasceu?
DARLON SILVA: Sapeaçu, no chuveiro do banheiro da maternidade, porém no Registro Geral diz ser nativo da cidade de Cruz das Almas.

VALDECK: Já conhece o restante do Brasil? E outros países?
DARLON SILVA: Fui até Brasília, mas fui barrado ao entrar no Palácio da Alvorada por não usar roupa apropriada, daí voltei para o hotel, li Julio Verne e consegui visitar outros palácios.

VALDECK: Como você começou a escrever? Por quê? Quando foi?
DARLON SILVA: Quando tinha 10 anos na escola, mas nada resta tangível daquele tempo. Não sei bem por que, o mais provável é que seja efeito das musas.

VALDECK: Você escreve ficção ou sobre a realidade? Suas obras são mais poesias ou prosa? O que mais você gosta de escrever? Quais os temas?
DARLON SILVA:
Escrevo a realidade através de mitos, costuma ser em versos, mas não é uma regra geral. Não tenho controle do apetite que vou escrever. É mais uma mistura de existencialismo, sexualidade e amor.

VALDECK: Qual o compromisso que você tem com o leitor, ou você não pensa em quem vai ler seus textos quando está escrevendo?
DARLON SILVA: Costumo não pensar muito quando escrevo. Poesia não é Filosofia. Sei que há verdades contidas ali, mas não sou da escola racionalista poética, muitas vezes produzo algo que não tenho nenhum entendimento.

VALDECK: O que mais gosta de escrever?
DARLON SILVA: A Alma.

VALDECK: Como nascem seus textos? De onde vem a inspiração? E você escreve em qualquer hora, em qualquer lugar ou tem um ritual, um ambiente?
DARLON SILVA: Primeiramente no imaginário, depois do primeiro verso registro em qualquer lugar. A qualquer hora do dia, em qualquer lugar, até mesmo sonhando. Sobre as inspirações é um mistério como a morte, Deus e o infinito. Platão diz ser Mnemosine e sou completamente platônico.

VALDECK: Qual a obra predileta de sua autoria? Você lembra um trecho?
DARLON SILVA: “
República”, de Platão. "O maior dos castigos é ser governado por quem é pior do que nós, se não quisermos governar nós mesmo".

VALDECK: Seus textos são escritos com facilidade ou você demora muito produzindo, reescrevendo?
DARLON SILVA: Escrevo, deixo em arquivo por alguns meses, depois interpreto e aprimoro, dando mais visibilidade ao objeto. Reescrevo, reescrevo... Uma obra nunca esta pronta.

VALDECK: Qual foi a obra que demorou mais tempo a escrever? Por quê?
DARLON SILVA:
O texto abaixo pode ser lido em vários caminhos, e ambos tratam do mesmo conteúdo. Ler da direita para esquerda, em triangular aparece o nome Montanha, o próprio formato é de alguém sentado na montanha, ler em cachoeira, etc.
 
               esta
          linha  infinita
      do           horizonte,
    Maximiza ao  admirável.


VALDECK: Concluiu a faculdade? Pretende seguir carreira na literatura?
DARLON SILVA:
Pretendo escrever, terminando ou não a faculdade.

VALDECK: Qual o escritor ou artista que mais admira e que tenha servido como fonte de inspiração ou motivação para seu trabalho?
DARLON SILVA: Caetano Veloso e Platão.
 
VALDECK: O que você acha imprescindível para um autor escrever bem?
DARLON SILVA: Ter imaginação, leitura ajuda bastante.

 
VALDECK: Você usa o nome verdadeiro nos textos, não gostaria de usar um pseudônimo?
DARLON SILVA: Assino Darlon Silva, mas estou procurando um pseudônimo porque já existe outro poeta com esse nome.
 
VALDECK: Como foi a tua infância?
DARLON SILVA: Foi tão boa que tento prolongar, ainda faço castelos.
 
VALDECK: Você é jovem, gasta mais tempo com diversão ou reserva um tempo para o trabalho artístico?
DARLON SILVA: É tudo junto, trabalho artístico para mim é diversão.

VALDECK: Tem um texto que te deu muito prazer ao ver publicado? Quando foi e onde?
DARLON SILVA: Discurso do método dadaísta, publicado quando estudava no ensino médio, ganhei varias premiações devido a um ótimo projeto da rede pública baiana, TAL.

VALDECK: Você tem outra atividade, além de escritor?
DARLON SILVA: Estudante de filosofia, trabalho árduo.

VALDECK: Você se preocupa em passar alguma mensagem através dos textos que cria? Qual?
DARLON SILVA: É difícil delimitar qual mensagem primária está contida, mas deve ser em torno do culto ao amor e ao pensar.

VALDECK: Qual sua Religião?
DARLON SILVA: Fui criado em uma moral cristã, admiro as religiões politeístas, mas não sou iniciado em nenhuma.

VALDECK: Quais seus planos como escritor?
DARLON SILVA: Traduzir as coisas da vida.

Blog do poeta Darlon Silva:
www.darlonsilva.blogspot.com



(*) Valdeck Almeida de Jesus é escritor, poeta e editor, jornalista formado pela Faculdade da Cidade do Salvador. Autor do livro “Memorial do Inferno: A Saga da Família Almeida no Jardim do Éden”, já traduzido para o inglês. Seus trabalhos são divulgados no site www.galinhapulando.com
 
(*) Mnemosine = Deusa que representa a memória
Valdeck Almeida de Jesus
Enviado por Valdeck Almeida de Jesus em 11/03/2012
Alterado em 12/03/2012

Música: A vida é rascunho - Dé e Venício



Comentários