Valdeck Almeida de Jesus
O poeta da verdade!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks


Ato denuncia racismo e violência policial em Salvador

Acontece nesta quarta-feira (27/07), em frente à Cooperativa de Táxis Especiais – Cotae, no centro da cidade de Salvador-BA, um ato com participação de várias entidades do Movimento Negro e Social, que vai denunciar o racismo praticado por taxistas da capital baiana e a violência policial praticados contra jovens negros e negras. A concentração será na Praça da Piedade a partir das 13hs e, em seguida, o grupo seguirá com cartazes e faixas até o Estacionamento São Raimundo (próximo ao Orixás Center), onde acontecerá o ato que contará com protestos, palavras de ordem, poesias e falas das Organizações presentes.

O encontro pretende denunciar atos de preconceito e violência ocorridos contra os jovens Eduardo Machado, jornalista, e Larissa Fulana de Tal, cineasta, que foram impedidos de utilizarem o serviço de táxi no bairro da Calçada, no último dia 23 de junho, ao retornarem da Praia de Cantagalo, na Cidade Baixa. Ao questionarem os motivos da recusa, houve um debate e a Polícia Militar interveio com violência e levou o rapaz detido, sob protesto de Larissa, que só descobriu o paradeiro do companheiro após longas duas horas de sumiço e após mobilização de uma rede de amigos e defensores dos direitos humanos pela internet.

A Bahia ocupa o vergonhoso lugar de estado que violenta direitos de negros e negras, encarcera pobres e pretos da periferia, além de ser uma das unidades da federação que mais mata jovens de 18 a 29 anos, numa ação que poderia ser nominada de extermínio ou genocídio da juventude negra, segundo dados das Nações Unidas. Casos como o do jovem Giovane Santana Mascarenhas, abordado numa blitz no mesmo bairro da Calçada, em 2014, assassinado e esquartejado, chocou a opinião pública e mostrou uma face cruel e desumana das instituições que deveriam proteger a vida. Outro caso de grande repercussão foi o massacre dos treze jovens na Vila Moisés, no Cabula, cuja comoção da comunidade negra e, graças à luta dos defensores da vida, hoje se encontra sob pedido de investigação federal, contra a sentença relâmpago de primeiro grau que inocentou os policiais.
A intenção principal do ato que vai acontecer em Salvador é não deixar que casos como estes se repitam, e que se repare àqueles que sofreram violência, seja racismo, machismo, homofobia, intolerância religiosa ou qualquer tipo de desrespeito
.
SERVIÇO:
O QUÊ: Ato de repúdio ao racismo e a violência Policial
QUANDO: 27 de Julho de 2016 (Quarta), às 13h
ONDE: Concentração Praça da Piedade em direção ao Estacionamento São Raimundo (próximo ao Orixás Center)
PÚBLICO: TODXS QUE REPUDIAM ATOS DE DISCRIMINAÇÃO RACIAL, HOMOFOBIA E MACHISMO
CONTATOS: EDUARDO MACHADO (71) 98214-4752 / Valdeck Almeida (71) 99345-5255
Valdeck Almeida de Jesus e Eduardo Machado
Enviado por Valdeck Almeida de Jesus em 18/07/2016
Alterado em 19/07/2016

Música: Homem Branco - Giovane Sobrevivente



Comentários