Valdeck Almeida de Jesus
O poeta da verdade!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks

A poesia está morta
A poesia está morta
(Camila Ceuta)

A Poesia está Morta!
Vamos comemorar esta morte...
A liberdade grita, choro de dor e agonia...
A Sociedade (só reclama!)
“A poesia está morta”
Ainda é meu maior poema
Mas não o maior de todos...
Exaltai aquele que ama!
Então, vivamos a poesia!
A poesia está morta!
Mas ela renasce
Renasce o amor, resplandece a esperança...
Sem poesia, não há comemoração perante o esplendor da alegria!
Estátua da vitória sem rima!
A poesia renasce a cada respirar
Feito a sobremesa da alma
Enfim! A poesia continua viva
Dona da rima, bailarina dos versos,
A poesia está Morta???
Morta de Vergonha!!!!

Camila Ceuta é natural de Salvador, aluna do ensino médio do Colégio Estadual Góes Calmon, faz parte do Grupo de Teatro da Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, frequentou oficina literária do Projeto Boca de Brasa (Fundação Gregório de Matos), escreve textos de ficção e alguns pensamentos que, por enquanto, ficam guardados.
Camila Ceuta
Enviado por Valdeck Almeida de Jesus em 29/05/2015


Comentários