Valdeck Almeida de Jesus
O poeta da verdade!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks


Poema censurado na Bahia
 

O texto “Quadrilha”, de Lívia Natália, foi aprovado pelo Fundo de Cultura, através do projeto “Poesia nas Ruas”, que publicou, também, poemas de Nelson Maca, Alex Simões, Mel Adún. Os versos foram estampados em outdoors na cidade de Ilhéus, sul da Bahia. O poema de Lívia recebeu críticas da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares do Estado da Bahia (Aspra), e o outdoor foi removido, segundo o site Bahia Notícias.

A censura gerou manifestações de apoio à professora Lívia Natália nas redes sociais, sites e blogues. A poetisa desabafou no Facebook: “Este é mesmo o País que se diz fora do regime militar e sem censura? Eu e as pessoas que fizeram o projeto Poesia nas Ruas tivemos o nosso direito à liberdade de expressão vetado!”

O poeta Jorge Augusto, em matéria no site Bahia Notícias, analisou o poema: “O poema propõe pensarmos a subjetividade interditada desse corpo negro, (quando rompe a cadeia amorosa que remete a intertextualidade com o poema de Drummond), sinaliza o abandono em que, muitas vezes, é condenada a mulher negra, denuncia, ao mesmo tempo, a violência com que a PM pratica seu genocídio contra o povo negro. É o amor, a subjetividade desse ser-negro, pensado, pelo Estado, sempre como um corpo suspeito que é tema. Maria não teve tempo de amar João. E o assassinato pela PM é apenas uma das formas pela qual essa subjetividade do negro brasileiro foi interditada, pela violência, e o poema usa dela para denunciar essa interdição, esse amor que não chegou a ser”.

Valdeck Almeida de Jesus, jornalista e poeta, postou em seu perfil no Face: “Meu apoio público a Lívia Natália e ao poema. Nada a retificar. Interditar o outdoor é interditar a livre expressão. E o poema não diz nada diferente do que as estatísticas já dizem há muito tempo. Ratifico o artigo do professor Jorge Augusto. É necessário que todos nós, poetas, escritores, artistas em geral, nos manifestemos contra a retirada do outdoor com o poema de Lívia Natália.”

O projeto Fala Escritor postou “Eu apoio Lívia Natália! Vamos mostrar a força que a poesia, a literatura e a cultura baiana têm contra a truculência da PM. Cada um vai marcar cinco poetas ou pessoas ligadas à poesia, à literatura e à cultura, compartilhando essa postagem. Censurar Lívia Natália é censurar a poesia baiana. Compartilhem.”


Aqui o poema:

“Quadrilha

Maria não amava João.
Apenas idolatrava seus pés escuros.
Quando João morreu,
assassinado pela PM,
Maria guardou todos os sapatos.”

(“Correntezas e Outros estudos Marinhos” (Editora Ogum's Toques Negros, Salvador-BA, 2015).

Resta a todos nós lutarmos contra esta censura. Com a palavra: escritores, poetas, jornalistas, ativistas culturais, pesquisadores, professores, mediadores de leitura, grupos e coletivos culturais, associações, academias de letras e o povo em geral.

Fontes:

http://galinhapulando.blogspot.com.br/2016/01/poema-censurado-na-bahia.html

http://www.iteia.org.br/jornal/poema-censurado-na-bahia
Valdeck Almeida de Jesus
Enviado por Valdeck Almeida de Jesus em 15/01/2016


Comentários