Valdeck Almeida de Jesus
O poeta da verdade!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks

Sem Maldades
De simplório em simplório
Encheu-se o purgatório
De gente sem malícia.

O céu virou um inferno
Pois não tinha mais caderno
Onde os nomes anotar.

Do inferno caiu o véu
E o falatório se espalhou:
O inferno virou céu.

Tudo agora é igual
Quem fez bem e quem fez mal
Vai para o Congresso Nacional.

Covil de demônios e anjos
Não há lugar para arcanjos
Nem que se faça um “arranjo”.

(Publicado na antologia “XI Komedi”, da editora Komedi, São Paulo, 2007 e na antologia “O Amor na Literatura”, da Casa do Novo Autor Editora, São Paulo, 2006)
Valdeck Almeida de Jesus
Enviado por Valdeck Almeida de Jesus em 04/09/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários